Matriarca – 40° Post!!!

Hoje completo meu 40° post do Blog.

Nada mais coerente do que escrever sobre Ela. A minha mãe.

Quem é a Dona Maria?

Carvalho ou Bosqueiro?

Um pouco de cada…

Uma mulher linda, que vi desde criança dizer o que pensa sobre tudo.

Que ensinava seus alunos.

Amava seus filhos.

Companheira de seu marido.

Sua casa sempre foi seu Templo! Seu lugar no mundo. Seu acolhimento.

Lembro que sempre gostei de escrever desde criança. Não me esqueço da melhor redação que fiz na minha vida. Escrevi sobre você, Mãe!

Sempre muito forte, a vida toda foi a minha inspiração.

Com todos os exageros possíveis e admiráveis, eu tinha o hábito de dizer que você era a própria hipérbole!

Dona de uma alegria absurda, contagia a todos que a conhece.

Posso dizer que conheci duas mães. Duas Maria’s.

A Maria Carvalho que foi casada com meu pai por 31 anos.

Que adorava contar histórias. Foi esposa. Dona de casa. Professora. Amante. Companheira do seu grande amor.

Ajudou meu pai na educação de seus quatro filhos, na construção de um Lar. Do nosso lar.

Aquela que também era provedora. Isso pra mim sempre teve uma importância fundamental. Eu sempre senti muito orgulho em poder dizer tudo o que você fazia mãe. E não apenas cuidar da casa, dos filhos ou do marido. Dizer que a minha mãe fazia tanto quanto o meu pai e que pra mim sempre foram iguais, tinha um peso gigantesco!

Apesar do exagero ser uma característica que sempre foi inflamada foi quando conheci a Maria Bosqueiro que vi de uma forma peculiar a minha mãe “voar”.

Sim, podemos voltar a voar depois de nossas perdas. Podemos voltar a sorrir!

E assim foi com você, mãe.

Depois da perda do meu pai, a perda do seu grande amor que jamais será esquecido, uma nova flor nasceu.

Diante de um deserto árido, sem água, sem vida, surgiu a Maria Bosqueiro.

Tamanha foi a sua força que despertou para o sol. Para uma nova vida. Soube apreciar a vida, os seus sete netos nascendo e crescendo.

Me sinto privilegiada por ter tido a oportunidade de ver você reescrever sua historia.

Uma contadora de histórias, fazendo “história”!

Quanta coisa você fez mãe! Quanto ainda vai fazer. E não poderia ter sido diferente!

Você é brilhante, mãe…

E ainda que a gente possa ter nossas diferenças porque somos praticamente “parecidas”, eu agradeço todos os dias por tê-la em minha vida. Em nossas vidas!

Cada olhar.

Cada gesto.

Cada carinho.

E ainda que de longe, eu posso sentir a tua força, o teu brilho, o teu amor.