Maternidade

Um sentimento que me invadiu aos poucos…

Ser mãe não é instintivo. Mas é tão nobre e digno que fico a pensar o que seria de mim sem o melhor dos presentes, sem a mais linda das jóias que eu jamais poderia pensar em receber!

Ainda em meu ventre me fazia sentir a mulher mais linda desse mundo. “Sua Majestade o Bebê”! A minha princesa, o meu botão de rosa que nasceu de mim e que cresce sem fim…

Dona de uma vivacidade incrível e de uma alegria que nunca vi igual.

Quantos passeios, quanta brincadeira cultural…Quanto faz de conta! Eu costumava dizer que durante a semana eu tinha 15 minutos de fama. Pois chegava tarde do trabalho e em função da separação os finais de semana eram  alternados. Eu precisava e desejava aproveitar cada minuto!!!

Na verdade ela era incansável mesmo. Ainda é…

Aprendi a administrar a maternidade. Do jeito que era possível sem perder o mais precioso dos momentos. O seu sorriso!

Eu diria que era um momento quase sagrado! Priorizava a qualidade do tempo. Não adiantava tentar obter a  maior quantidade do mesmo, já que ele me era escasso. Como? Chegava as 21 horas e ela tão pequenina, me esperando com os olhos quase fechando. Enquanto eu tomava banho, ela colocava um banquinho do lado de fora e me aguardava. Brincávamos de contar história inventada. Começo, meio e fim; de “o que é o que é” , e eu finalizava a noite sempre com um conto de fadas diferente. E ela dormia…

A gente nunca sabe qual será o resultado de nossa educação, de nossa maternidade. Mas hoje, quando vejo sua bondade, sua doçura, seu encantamento e paciência com os velhinhos, com as crianças, seu caráter, seu brilho nos olhos nas escolhas que faz e sobretudo a sua lealdade e transparência, vejo que fui verdadeiramente agraciada pela vida.

Ainda me sinto com a “rainha na barriga”. Porque meu orgulho é enorme. E a minha pequena que é GRANDE em todos os sentidos, merece tudo o que é de bom nessa vida. Absolutamente tudo.

De mãos dadas, agora só de vez em quando, mas sempre estarei aqui. Penso ser este o genuíno papel do que venha ser uma “mãe”. Cada uma do seu jeito e no seu próprio tempo. Estar atenta aos detalhes, com olhos de onça, saber a hora de sair de cena e ser dona de uma escuta ativa impecável.

Isso se chama Amor.

Anúncios

4 comentários

  1. Lindo texto.
    Realmente a maternidade nos muda, nos abre para grandes possibilidades conquistas, amadurecimento. Temos sorte !!
    Gratidão

Deixe uma resposta